Quebrada Groove Cypher 1 “Ancestral” C/ – Opanijé, Funk Buia, Yonih, Thai

0
[nome do seu blog]

[nome do seu blog]
Em tempos de reflexão, Quebrada Groove apresenta ‘Cypher 1 – Ancestral’, uma viagem ao mundo negro.
O Quebrada Groove, coletivo de produção e ativismo cultural da zona sul de São Paulo (Brasil), apresenta a “Cypher 1 – Ancestral”, uma reunião com os artistas Lázaro Ere, Rone DumDum, Funk Buia, Yonih e Thai para falar de negritude e o poder do autoconhecimento em meio a tantos descasos e violências contra a população negra no Brasil.
“A ideia era fazer um som contemporâneo, com elementos de nossa música preta. Daí vem a utilização do sample dos Ticoãs (“Deixa a gira girar”), que é um grupo que traz essa sonoridade ancestral para faixa, juntando com o rap, que representa o hip hop. É a recriação por meio da nossa própria evolução”, diz Jonathas Noh, músico e produtor do Quebrada Groove. 

Lázaro e Rone DumDum, são integrantes do veterano Opanijé, grupo referência do rap da Bahia por mostrar rimas com teor político e religiosidade de matriz africana. A carioca Thai traz na sua caminhada o soul, o blues e a música latina. Também do Rio de Janeiro é Yonih, destaque convidada pelo Quebrada Groove que vai dar o que falar na cena rap.
Outro veterano na cena é Funk Buia (Z’África Brasil). O artista registra o poder negro com sua voz rouca, que transita entre a agressividade e a leveza que representa o cotidiano de quem vive nas quebradas. O clipe de “Cypher 1 – Ancestral” foi produzido – gravado e editado por Jonathas Noh- pela Quebrada Groove. O beat possui pesquisa de sample de SJota e a produção artística teve sugestão de conteúdo de Karina Souza.
Um verdadeiro coletivo artístico, numa obra que vai além das performances do MCs, está na faixa “Cypher 1 – Ancestral”. Aperte o play e use as armas da resistência sonora.

Assista AQUI:

[nome do seu blog] [nome do seu blog]

Comentários

Deixe o teu comentário

Share.

About Author

Bispo Bispaço, é o fundador e único administrador do Portal Rap Kuia.

Leave A Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: